NBR 16820:2020 – Sinalização de emergência – Parte 1

(Já leu a Parte 1? Clique aqui para ler a Parte 2!)

Uma das medidas essenciais para garantir o uso seguro das edificações tanto em situações usuais quanto em situações de emergência é a utilização adequada das sinalizações de emergência. Tais sinalizações têm seus requisitos especificados na NBR 16820:2020 – Sistemas de sinalização de emergência.

Dentro dos sistemas de prevenção e combate a incêndio e pânico, a sinalização de emergência é considerada uma medida passiva. Ela é fundamental não apenas para prevenir a ocorrência de situações de risco, mas também para garantir a segurança dos usuários durante esses momentos.

Assim, para que esse sistema cumpra bem seu papel, é muito importante conhecê-lo e saber aplicá-lo corretamente – e é exatamente isso que o artigo de hoje traz!

Classificação das sinalizações

De acordo com a NBR 16820:2020, a sinalização de emergência separa-se em dois grupos: sinalização básica e sinalização complementar. 

A sinalização básica compreende as placas e os dispositivos mínimos para uma edificação, sendo classificada em:

  • De proibição
  • De alerta 
  • De orientação e salvamento
  • De equipamentos 

A sinalização complementar engloba as sinalizações secundárias, que são obrigatórias em situações específicas.

Nesta primeira parte, abordaremos apenas a sinalização básica. Fique de olho na Parte 2 para aprender sobre a sinalização complementar!

Níveis de instalação

Outro importante aspecto para as sinalizações de emergência é conhecer os níveis de instalação. Esses níveis indicam a que distância do piso acabado devem ser instaladas as placas e os dispositivos, como ilustrado na figura a seguir.

Indicação dos níveis de instalação superior (1,80m), intermediário (1,20m-1,60m), e inferior (0,25m-0,50m).

Obedecer aos níveis de instalação definidos na NBR 16820:2020 é importante por dois aspectos:

  • Padronizar e organizar a instalação da sinalização na edificação, facilitando que usuários a identifique;
  • Padronizar o projeto da sinalização de emergência, facilitando o entendimento e a execução.

Em planta baixa, o nível de instalação é representado pelo formato do símbolo, podendo ser um círculo, um losango ou um retângulo, conforme a figura a seguir. Esse símbolo não tem relação com o formato da placa!

Quadro com a representação das sinalizações de emergência de acordo com o nível de instalação.

Sinalização de proibição

Conforme a NBR 16820:2020, essa sinalização tem como função proibir ou coibir ações capazes de conduzir ao início do incêndio ou ao seu agravamento e ameaça à vida humana.

Quanto a sua apresentação, deve ser na forma circular com borda branca e cor do fundo (cor de contraste) branca ou fotoluminescente, a faixa diametral e a faixa circular na cor vermelha (cor de segurança) e o símbolo na cor preta.

A tabela a seguir é composta pelos símbolos da sinalização de proibição e seus respectivos códigos, significados, forma e cor e aplicação.

Tabela com as sinalizações de proibição

A referida sinalização básica de incêndio deve ser instalada em local visível e em nível superior, exceto P-4, que deve ficar em nível intermediário, próxima ao botão de chamada do elevador e ao lado das respectivas portas.  Apenas os elevadores de emergência podem ser utilizados, caso existam. Se não, o deslocamento vertical deverá ser realizado através de escadas de segurança.

Além disso, a sinalização de proibição deve estar próxima ao risco isolado ou distribuída a cada 15 m, no máximo, em caso de risco generalizado.

Sinalização de alerta

Esse tipo de sinalização básica objetiva alertar as pessoas sobre áreas e materiais com potencial de risco de incêndio ou explosão.

Sua forma é sempre triangular, possui cor de fundo da moldura amarela ou reticulada, o símbolo e a moldura na cor preta e seu fundo com material fotoluminescente.

A NBR 16820:2020 ilustra na tabela abaixo os símbolos para a sinalização de alerta, seus significados, cores e níveis para aplicação.

Tabela com os símbolos de sinalização de alerta

A norma informa também algumas diretrizes para a aplicação desse tipo de sinalização em projetos. 

A sinalização de alerta apropriada ao risco considerado deve ser instalada em local visível em nível superior ou em nível intermediário, próxima ao risco isolado ou distribuídas entre si em, no máximo, 15 m ao longo da área de risco generalizado.

Sinalização de orientação e salvamento

Essa sinalização deve indicar mudanças de direção ou sentido, saídas e escadas.

Ela tem como finalidade direcionar toda a população da edificação para a saída de emergência mais próxima de modo que de qualquer ponto se possa visualizar o ponto seguinte, distanciados entre si, no máximo, 15 m e sempre em nível superior

A sinalização que antecede a sinalização final de saída deve manter desta uma distância máxima de 7,5 m.

Caso seja necessário utilizar placas dupla face para indicar a rota de saída, essas placas devem ser colocadas suspensas no corredor com altura entre 2,10 m e 2,50 m.

Placa de orientação e salvamento dupla face com fixação no teto

Em escadas contínuas não interrompidas no pavimento de descarga, além da identificação do pavimento de descarga em seu interior, deve-se incluir uma sinalização de saída de emergência.

Esse pavimento representa aquele que se conecta ao logradouro público ou área externa, ou seja, ligado a uma área de risco mínimo para a população.

Em relação às portas de saída de emergência, a sinalização deve ser localizada imediatamente acima das portas, no máximo a 10 cm da verga. Na impossibilidade da colocação nessa posição, poderá ser aplicada em sua folha desde que a porta permaneça fechada.

Se for uma porta corta-fogo, a sinalização é obrigatória e o texto deve ter visualização mínima de 2 m de distância.

Abaixo tem-se a tabela, presente na NBR 16820:2020, que ilustra os símbolos da sinalização de orientação e salvamento e suas características (deslize para ver as outras).

Sinalização de equipamentos de combate a incêndio e alarme

Assim como as demais sinalizações, a NBR 16820 expõe a função dessa sinalização: indicar a localização e os tipos de equipamentos de combate a incêndio e alarme disponíveis.

Como ela se apresenta? Em um formato quadrado ou retangular com símbolo e margem fotoluminescente e cor de fundo vermelha.

A tabela abaixo ilustra essas sinalizações (deslize para ver as outras).

Essa sinalização deve ser instalada em local visível e em nível superior, imediatamente acima do equipamento sinalizado, com exceção de E-2 e E-3, em nível intermediário, e E-17 nível solo.

Representação da altura de instalação (1,80m) para a sinalização de equipamentos de combate e alarme.

Ademais, deve-se ficar atento a mais alguns detalhes:

  • quando o equipamento estiver instalado em uma das faces de um pilar, todas as faces visíveis do pilar devem ser sinalizadas;
  • quando existirem situações em que a visualização frontal da sinalização não seja possível, deve-se utilizar sinalização perpendicular ou angular;
Representação de sinalização angular.
  • as sinalizações de acionamento de comando manual para alarme e bomba de incêndio não podem ser substituídas pela sinalização de conjunto de equipamentos;
  • a sinalização deve ser disposta perpendicularmente às paredes dos corredores que integram as rotas de fuga, para serem visualizadas frontalmente.

Aspectos gerais

Por fim, vejamos algumas características que abrangem todos os tipos de sinalização citados nesse artigo.

Dimensões da sinalização

Segundo a NBR 16820:2020, a área de uma placa de sinalização deve ser superior ao quadrado da distância do observador à placa, dividido por 2 mil, como ilustra a equação a seguir.

Onde: 

A – Área da placa de sinalização (m²);

L – Distância do observador à placa (m).

Dessa forma, a norma fornece uma tabela para auxiliar os projetistas na definição das dimensões das placas de sinalização, conforme a distância do observador às placas projetadas.

Tabela com as dimensões mínimas para placas de sinalização de emergência de acordo com a distância de visualização do observador.

Outro fator que também depende da distância do observador à placa é a altura das letras em uma placa de sinalização.

Essa altura pode ser calculada de acordo com a fórmula a seguir, ou também pode-se utilizar como referência a tabela fornecida pela norma.

Onde: 

h – Altura da letra.

Tabela com a altura das letras das placas de sinalização de emergência de acordo com a distância de leitura do observador.

Vale lembrar que todas as letras utilizadas em placas de sinalização devem ser sempre aplicadas em CAIXA ALTA e nas fontes Helvetica Bold ou Univers 65.


A sinalização de emergência é um importante sistema para o uso seguro de qualquer edificação, evitando e mitigando o impacto das situações de emergência sobre os usuários e bens presentes. Assim, é fundamental que todos os engenheiros da área de PSCIP estejam familiarizados com esse tema!

Ficou alguma dúvida? Fale com a gente!

E não se esqueça de seguir nosso site para receber atualizações no seu email!

Para ler mais!

  1. NBR 16820:2020 – Sistemas de sinalização de emergência – projeto, requisitos e métodos de ensaio.
  2. PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO: Parte 1
  3. PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO: Parte 2

3 comentários sobre “NBR 16820:2020 – Sinalização de emergência – Parte 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.