Foto por @cesarcarlevarino.

12 Ferramentas essenciais na construção civil

A utilização de equipamentos e ferramentas adequados são essenciais para a execução das atividades dentro de uma obra, garantindo tanto melhor qualidade do serviço como também maior produtividade. 

Dessa forma, o artigo de hoje irá expor as principais funções de equipamentos e ferramentas muito utilizados na construção civil, a fim de transmitir conhecimento e facilitar o seu cotidiano na obra, em termos de eficiência, segurança e organização.

A seguir, detalharemos 12 ferramentas essenciais no seu dia a dia no canteiro de obras.   


Alicate

Diferentes modelos de alicate.

Alicates são ferramentas corriqueiras, sempre presentes em qualquer obra que envolva a necessidade de aumentar a força aplicada em um ponto, com precisão. Ou seja, diminuem o esforço necessário para executar atividades como aperto de porcas e parafusos, corte e torção de armaduras e arames, desencapamento, corte e crimpagem – conexão de conectores – em fios elétricos e de dados.

Cada alicate tem sua função específica, com as garras e dentes projetados para facilitar a execução da tarefa e diminuir o esforço do operador, reduzindo lesões e acidentes de trabalho. Ainda assim, é obrigatório manusear o alicate utilizando os EPIs necessários: óculos de proteção, luvas e outros itens de segurança. Além disso, é importante fazer a manutenção preventiva dos alicates: verificar empenamentos, oxidação e integridade dos cabos, além de lubrificar regularmente a articulação.

Betoneira

Betoneira em obra de construção civil.

Esse equipamento é utilizado no canteiro de obras com a finalidade de misturar todos os agregados do concreto ou argamassa com eficiência. Ele recebe esse nome por causa do português de Portugal, onde concreto é chamado de betão.

A betoneira pode ser de metal ou plástico e seu uso é bastante simples. Além disso, é movida a motor, que ao girar, mistura os componentes que são colocados no tambor.

Existem modelos e capacidades diferentes desse equipamento, que são usados de acordo com o porte da obra. Podem ser a combustão e elétrica (220V e 380V) com capacidades de 150, 250, 400 e 600 litros. 

Carrinho de mão

Modelo de carrinho de mão.

Também conhecido como carrinho de pedreiro ou carriola, tem a função de transportar materiais de construção de maneira mais fácil.

O carrinho de mão é movido a energia humana e, de modo geral, pequeno, podendo encontrá-lo com caçambas de diferentes capacidades. 

Colher de pedreiro

Modelo de colher de pedreiro.

É uma ferramenta manual, também conhecida como trolha, utilizada tanto para assentamento como para acabamento.

Algumas recomendações importantes são não usar a colher de pedreiro para quebrar materiais (pode entortar a lâmina de aço), guardar em local seco e manter sempre limpa, evitando assim oxidação. 

Desempenadeira

Modelo de desempenadeira.

Essencial na aplicação de revestimentos argamassados e de suas subcamadas, tornando-os lisos e com a superfície uniforme através de movimentos circulares.

Além disso, essa ferramenta tem a função de formar os cordões de argamassa na superfície do revestimento para receber as placas cerâmicas. Assim, sua aderência é garantida e evita-se a ocorrência de patologias no revestimento cerâmico futuramente – como desplacamento.

Geralmente a lâmina da desempenadeira é metálica, porém, pode ser de plástico, de madeira e até ter superfície esponjosa para produzir diferentes acabamentos superficiais.

Serra de corte

Utilização de disco de corte em barra de aço.

A serra de corte é uma ferramenta abrasiva, constituída por grãos abrasivos, telas de fibra de vidro e resinas. Ela é utilizada para cortar diversos materiais: metais ferrosos, aço e suas ligas, ferro fundido, aço inox, bronze duro, ferro batido, mármores, refratários, granitos e materiais não metálicos.

São recomendadas para cortar peças em forma de tubos, placas, barras, perfis, chapas, entre outras. Além disso, os discos utilizados na serra de corte são solicitados por diâmetro, espessura, furo e material onde será aplicado. 

As serras geralmente são utilizadas nas etapas iniciais dos processos produtivos e devem ser aplicadas em um ângulo de 90° perpendicular à peça a ser cortada durante toda a operação. Os discos de corte podem ser utilizados também juntamente com máquinas portáteis como esmerilhadeiras, serras mármores e outros tipos de ferramentas, de acordo com o seu tipo de trabalho. 

É comum, no canteiro de obras, essa ferramenta ser chamada de makita, sendo que esse é o nome de uma das fabricantes da serra de corte. 

Esquadro

Modelo de esquadro para construção civil.

O esquadro é uma régua em formato de L com um ângulo interno de 90º e pode ser confeccionada em metal, madeira ou plástico.

Tem como função conferir os ângulos retos em diversos serviços da construção civil, como locação de terreno, madeiramento de telhado, marcação do esquadrejamento de alvenarias, janelas, portas e revestimentos.

Martelete

O martelete é uma ferramenta de demolição muito utilizada na construção civil, possuindo diversas utilidades, como demolir pilares, vigas, pisos, alvenarias, e abrir canaletas para instalação de tubulações. 

Existem os tipos elétricos e pneumáticos, além de marteletes com encaixe universal, permitindo a utilização de vários tipos de cinzel (ponteiro ou talhadeira).

Seu funcionamento ocorre através de um motor elétrico ou por ar comprimido, onde o pistão transfere a compressão do ar para o cinzel, absorvendo parte do impacto. É uma ferramenta de grande produtividade, praticidade, versatilidade e segurança para o operador.

Nível 

De modo geral, o nível é um instrumento utilizado para medir inclinações em planos e transpor cotas. Na construção civil, seu principal uso é feito para que os planos fiquem na mesma altura (ou nivelados!) ou com as inclinações desejadas. Sua aplicação abrange desde assentamento de pisos, aparelhos hidrossanitários até fundos de vala.

Existem alguns tipos de nível desenvolvidos no mercado. Neste artigo falaremos sobre três: de mangueira, de bolha e a laser

Mangueira

Exemplo de uso de mangueira de nível.

É um instrumento simples e de fácil utilização, que funciona como vasos comunicantes através da utilização de um líquido (normalmente água!). Assim, pode-se transportar uma cota de uma zona para a outra, como pode ser observado na figura acima.

Bolha

Nível de bolha.

Este nível é principalmente utilizado para verificar a existência de inclinação em planos horizontais. Devido ao seu tamanho, é mais comumente utilizado em pequenas instalações como peitoris de esquadrias, prateleiras, bancadas de pia etc. 

Laser

Modelo de nível a laser.

Este é um equipamento apropriado para utilização em áreas internas de construções, pois o laser necessita de anteparo vertical para que possa ser feita a sua marcação, medição de níveis e alinhamento de pontos.

Prumo

Esta ferramenta é de suma importância para uma boa execução de sua obra. Existem dois tipos de prumo: o de face, que garante a verticalidade das peças estruturais, paredes, esquadrias; e o de centro, que possui a função de materializar o centro dos elementos de fundação, muito utilizados pelas equipes de topografia para executar a locação da obra.  

Prumo de face.

Prumo de centro.

Uma parede aprumada evita desperdícios em revestimentos e retrabalhos, evitando surpresas no orçamento da obra

Talhadeira

Talhadeira.

A talhadeira é uma ferramenta de ferro com a ponta achatada usada para realizar aberturas em parede e retirar excesso de massa. Além disso, é muito utilizada em conjunto ao martelo ou a marreta.

Pode ser confundida com o ponteiro, porém essas ferramentas diferem quanto ao formato de sua ponta. No ponteiro o formato é de um cone e na talhadeira, de lâmina. 

Vibrador de imersão

Utilização de vibrador para adensamento de radier.

Esses vibradores são indicados para eliminar vazios em peças de concreto fresco a partir da transmissão de vibrações. É composto por um motor e um mangote, cujo diâmetro é determinado pelo espaço livre entre as armaduras e o raio de ação que se deseje obter. 

A vibração deve ser feita na vertical, a uma profundidade não superior ao comprimento da agulha do vibrador e deve-se evitar vibrar próximo às formas, afastando-se pelo menos 10 cm.


O que acharam? Ficou alguma dúvida? Lembrou de mais alguma ferramenta que não sabe a função? Comente aqui embaixo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.