Lean Construction

Você já ouviu falar em Lean Construction, em português, Construção Enxuta? Pois é! Hoje falaremos sobre essa concepção que trouxe muitos benefícios para a indústria da construção civil, buscando aprimorar o processo construtivo.


Construção Enxuta é o resultado da aplicação das ideias da produção enxuta na construção civil, como o aumento da produtividade e da eficiência do processo construtivo através da redução de perdas inseridas nessa indústria milenar. Os benefícios proporcionados pela aplicação dessa ideia vão além do lucro – reduzir serviços desnecessários e desperdícios de tempo e de materiais, assim como incentivar a organização do canteiro e valorizar os anseios do cliente.

O sucesso da implantação dessa filosofia requer que todos os componentes da empresa devam estar envolvidos, desde o operário da obra até o dono da empresa. Isso se dá devido a gama de setores que uma empresa possui e sua interdependência, como os setores de produção, de gerenciamento, de logística, de administração, entre outros.

CONTEXTO HISTÓRICO

A ideia de Lean Construction tem forte relação com o desenvolvimento da indústria automobilística, inicialmente mais ligada ao Fordismo americano na primeira metade do séc. XX. Porém, a coisa realmente tomou forma no Japão ao incorporar a mentalidade de redução de perdas e de controle de qualidade da indústria da Toyota

Linha de produção da fábrica da Toyota em Koromo (Japão). A cidade mudou de nome para Toyota em 1959 devido ao sucesso da empresa! Foto: Toyota Motor Corporation.

Assim, buscando atender ao exigente mercado consumidor, a empresa desenvolveu maneiras de repensar a produção e valorizar as etapas que realmente agregam valor ao produto final. Por exemplo, ao contrário dos carros padronizados da Ford, a Toyota permitia certo grau de customização, gerando o conceito de Just in time ou Produção Puxada, onde a produção se inicia a partir do estímulo do cliente.

Isso levou ao chamado “Sistema Toyota de Produção”, baseado nos princípios de Just in time e Autonomação, e que mais tarde foi adotado por outras empresas até mesmo fora do ramo de automóveis.

Então, pesquisadores da área da construção civil, entre eles, Lauri Koskela, buscaram a implementação desses princípios na Engenharia Civil. Assim como na produção de automóveis, nós engenheiros buscamos entregar o produto – a obra –  no prazo, no orçamento e com a melhor qualidade possível.

PILARES DA CONSTRUÇÃO ENXUTA

O estudo da Construção Enxuta baseia-se principalmente em dois pilares: Just in time (JIT) e Controle da Qualidade Total. Este consiste na busca permanente do erro mínimo e do produto perfeito, com a qualidade que agrade o consumidor/cliente. Aquele, por sua vez, é fundamentado na ideia de estoque zero e de produção por demanda, ou seja, nenhum material é solicitado em seu local de produção a não ser no momento exato que é necessário.

Esses conceitos buscam a eliminação das perdas, estas definidas por atividades completamente desnecessárias que geram custos e não agregam valor, como por exemplo, superprodução, transporte, processamento em si, movimentação e espera. Com a redução da quantidade de estoque nas obras, reduz-se também os custos gerados com deterioração, roubo e espaço demandado pelo estoque.

E ONDE ISSO TUDO ENTRA NA ENGENHARIA CIVIL?

Foto: Saad SalimUnsplash

Na construção civil, lidamos com um setor, em geral, bastante artesanal. São constantes problemas como elevadas perdas de tempo e de material, baixa produtividade, falta de confiabilidade nos prazos e baixa segurança, que resultam no baixo de desempenho dessa indústria.

E é por isso que a Construção Enxuta é tão importante para o aprimoramento do processo construtivo. Considerando as características da produção na nossa indústria, destacamos alguns princípios lean que se integram à construção civil.

Redução das atividades que não agregam valor

Racionalizar e otimizar os serviços, inclusive auxiliares como transportes e inspeção, através de ferramentas ou equipamentos que agilizem estas atividades. Executar um serviço apenas uma vez, ao se evitar o retrabalho. Desse modo, reduzindo o tempo de ciclo de cada serviço.

Aumentar o valor do produto conforme os anseios do cliente

Valor para a Construção Enxuta é tudo aquilo que o cliente está disposto a pagar. Por isso, é importante incorporar melhorias atrativas no produto: materiais customizados e possibilidade de alteração de projetos são alguns exemplos. Desse modo, é importante preparar mão de obra polivalente, capaz de lidar com tais demandas.

Outro fator muito importante para o cliente é o prazo, por isso é sempre primordial entregar o produto no prazo estipulado.

Reduzir a variabilidade

Manter o controle dos materiais e processos é um passo essencial para que o planejamento e os prazos sejam alcançados. Por isso, deve-se padronizar procedimentos – mesmo que seja disponibilizada a possibilidade de customização ao cliente! – e utilizar materiais de qualidade comprovada.

Minimizar passos e partes

Enxugar o processo construtivo reduz a possibilidade de erros de execução e perdas, portanto, é sempre importante buscar meios de utilizar materiais produzidos em locais mais controlados que o canteiro da obra: peças pré-fabricadas ou pré-moldadas, alvenaria estrutural, etc. Outro método interessante de se reduzir os passos de um processo é a utilização de equipes polivalentes e células de produção.

Aumentar a transparência do processo

Este princípio valoriza a produção em um canteiro limpo e organizado, diminuindo a poluição visual e obstruções. Além disso, deve-se incentivar a disseminação de informações sobre o processo produtivo entre os stakeholders. Isto é, aqueles envolvidos na produção: colaboradores, engenheiros, fiscais e até estagiários! Para isso, temos algumas ferramentas: kanban, 5S e o ciclo PDCA, por exemplo.

Buscar melhoria contínua dos processos

Por fim, é essencial a participação das equipes em treinamentos que visem a capacitação dos profissionais a fim de melhorar os processos (aumentar qualidade final e reduzir tempos de ciclo e custo). 

Em meio a isso, deve-se sempre utilizar os processos que geraram melhores resultados. Estes tornando-se referência e sendo compartilhados entre os colegas de trabalho – ou Benchmarking.

Lembra das Construtechs? Elas são, de modo geral, bons exemplos de incentivo à melhoria contínua dos processos, priorizando os serviços que realmente importam!


Depois de conhecer os benefícios dessa filosofia e como você pode aplicá-la em sua empresa, vale a pena ressaltar os principais desafios a enfrentar diante desse contexto. 

Os principais deles são pensar “lean” o tempo todo, manter a constância no enfrentamento das dificuldades, manter planejamento a ser atingido, construir um ambiente de crescimento em toda a empresa, e transformar a teoria em prática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.