5 dicas para você otimizar seus estudos

Você sabe estudar da maneira certa? É do tipo que prefere virar noites de maratona de estudos ou vai revisando aos poucos? Nesse artigo serão discutidas técnicas e dicas de estudos para aumentar sua eficiência, diminuindo o cansaço mental.

A forma como você estuda é fator determinante para alcançar bons rendimentos. Aspectos como ambiente de estudo, períodos de descanso, gerenciamento de tempo e de conteúdo influenciam diretamente na produtividade do estudante.

Assim, se você quer ter um aprendizado eficiente e rápido, siga esses cinco passos, sem medo de colocar a mão na massa:

  1. Planeje-se
  2. Pratique e revise
  3. Gere discussões
  4. Fuja das distrações
  5. Seja eficiente

Sempre ouvimos falar que pôr a mão na massa é a melhor maneira de aprender algo novo, ou seja, quanto mais ativo seu aprendizado, melhor! Porém, muitas outras ferramentas estão à nossa disposição.

Pirâmide do aprendizado, com 7 níveis, de cima pra baixo, indicando a porcentagem de influência sobre a retenção do conhecimento: Ler (10%), Escutar (20%), Ver (30%), Ver e Escutar (50%), Conversar e debater de modo geral (70%), Escrever, demonstrar e praticar (80%), Explicar, resumir, ilustrar (95%).

Na figura acima, vemos a Pirâmide do Aprendizado (também chamada de Pirâmide de William Glasser). Ela mostra os níveis de retenção do conhecimento de diferentes maneiras de aprendizado. Por exemplo, estima-se que, ao estudar através da leitura, 10% do conteúdo é retido mais profundamente. Por outro lado, ao utilizar ferramentas mais ativas, como resumir, ilustrar ou explicar para outra pessoa, podemos reter até 95%!

1ª dica: Planeje-se!

Liste todos os assuntos que você precisa estudar e classifique-os por graus de importância e/ou dificuldade. Em seguida, crie metas para alcançar com seus estudos e estime o tempo necessário para realizá-las. 

É importante separar tais metas em curto e longo prazo. Por exemplo, uma meta de curto prazo pode ser uma meta diária: resolver 5 questões, ou ler 5 páginas. Por outro lado, uma meta de médio a longo prazo pode ser o conjunto de metas menores: terminar o capítulo em 15 dias. O importante é sempre ter metas alcançáveis, que sempre te motivem a fazer mais.

Um bom planejamento sempre irá resultar em uma ótima execução. Aprenda com seus erros, se um planejamento não está funcionando como desejado, é porque ele ainda precisa ser melhorado.

Caso ainda esteja cumprindo as metas com folga, pode-se implementar mais atividades diárias. Caso contrário, é possível aumentar a carga horária de estudo ou até mesmo estipular metas menos ambiciosas.

Algumas ferramentas que ajudam a alavancar essa dica são:

Agenda física e planners: para os que não abrem mão do papel e caneta, estes são meios bastante eficientes de planejamento. Enquanto as agendas têm um formato mais fixo, os planners costumam ser mais flexíveis quanto à personalização. A escolha dependerá da sua rotina e necessidades! 

Excel: aqueles que têm mais afinidade com o software podem montar seu quadro de horários das atividades semanais e tentar segui-lo fielmente; além de contribuir na manutenção da constância, otimiza seu tempo, visto que você não precisa de um tempo extra antes de iniciar a rotina para organizar seu dia.

Google Agenda: esse aplicativo pode ser facilmente utilizado pelo celular ou computador e atua como uma agenda inteligente, na qual você consegue adicionar lembretes, etiquetas, reuniões e atividades diversas ao longo de todas as horas do dia. E ainda poderá compartilhar tudo isso com outros usuários!

Google Keep: para quem preferir anotações e lembretes rápidos, além de listas de afazeres (ou “To-do lists”), o Keep é uma ótima alternativa para usar no celular ou computador. Com ele você pode criar qualquer tipo de anotação ou lembrete: textos, listas, imagens, desenhos e até gravações de voz. Essas anotações, então, podem ser classificadas usando tags ou cores, personalizando-as. Tudo isso é sincronizado com sua conta, podendo ser acessado em outros locais e até compartilhado com outras pessoas.

2ª dica: Pratique e revise!

Produzir com eficiência é a meta! Não deixe de lado as práticas e revisões regulares. Associado a isso, sabe-se que o cérebro humano não costuma esquecer informações, apenas as deixa acessíveis conforme você as torna mais ou menos “importantes”. Além disso, você consegue guardar melhor uma informação importante que você viu em uma aula revisando-a em intervalos de tempo do que quando estuda de forma contínua.

E tais revisões podem (e devem) ser incluídas no seu planejamento, para evitar esquecimentos. Um exemplo prático seria realizá-las a cada 7 dias, relembrando pontos importantes e de maior dificuldade da semana.

Gráfico de como a retenção de informações funciona nas pessoas. Para recuperar 100% do conteúdo aprendido, revisões devem ser feitas periodicamente, com intervalos que podem aumentar (1 dia, depois 2 dias, depois 3 dias...).

Ademais, elabore resumos e mapas mentais. Sim, “elaborar” e não copiá-los. Introduzir seu próprio estilo e sua maneira de pensar ajudará tanto na retenção do conteúdo, quanto na resolução de questões.

Para melhor aproveitamento e revisão de leituras é interessante grifar e até mesmo escrever comentários sobre trechos importantes. Vale até dobrar páginas dos livros para facilitar!

Falando em questões, resolva o máximo que puder e anote seus erros e suas dúvidas para revisão posterior. Você também pode incrementar os resumos e mapas com os tópicos que você costuma errar e que são relevantes.

3ª dica: Gere discussões!

Trocar informações com outros colegas e chegar a um consenso (ou não!) contribuem para o enriquecimento do conhecimento acerca de determinado assunto. Esse compartilhamento de pontos de vista diferentes é bastante relevante, em especial, nas matérias subjetivas. Além do mais, o seu coleguinha pode lembrar de algo que você estava esquecido!

Outra atitude sensacional: seja professor! Transmita seus conhecimentos para colegas ou até mesmo para seu “amigo imaginário”. Assim, o cérebro é condicionado a pensar criticamente sobre o material visto e refletir de outra perspectiva.

Essa dica pode ser praticada não só pessoalmente, como também através de ferramentas digitais, por exemplo, Whatsapp e as de videoconferência como o Skype e o Google Meet.

4ª dica: Fuja das distrações!

Um celular que nos atrapalha com muitas notificações deve ser afastado.

Encontre um ambiente de estudo para chamar de “seu”. Arejado, tranquilo, com iluminação adequada e que te proporcione maior conforto e concentração.

É importante também que o espaço permita a disposição de todo seu material (livros, água e até um lanchinho, a fim de evitar passeios desnecessários!) e que o seu assento te proporcione uma postura adequada para que seu cérebro perceba que é hora de estudar.

Outra dica importante para tornar seu dia mais produtivo é fazer um break digital. O celular é uma grande distração para qualquer um, por isso, reduza o impacto dele no seu tempo de estudo.

Você pode afastá-lo de você fisicamente: deixando-o em outro cômodo, a tentação será bem menor! Além disso, desligue as notificações e limite o uso dos apps que você mais utiliza – eles estão sempre disputando sua atenção, não deixe!

Por fim, sempre que lembrar de algo durante os estudos, anote em um lugar à parte para fazer posteriormente e não prejudicar sua concentração. Como sugestão, você pode usar as notas autoadesivas do seu computador.

5ª dica: Seja eficiente com seu tempo!

Mais tempo não quer dizer estudos produtivos. Um dos problemas mais relatados por universitários é o Burnout, provocado por situações de esgotamento mental e estresse excessivo. Por isso, gerencie bem seu tempo, criando espaço para estudar os assuntos de maneira focada. Sendo assim, defina pequenos objetivos que possam ser alcançados aos poucos e reserve um tempo de descanso.

Um método interessante para gerenciamento de tempo é o Pomodoro, que consiste em trabalhar utilizando intervalos de tempo determinados. No método, deve-se definir seu tempo de trabalho e seu tempo de descanso, e ajuste seu cronômetro!

O Pomodoro é um método de controle de tempo, que pode ser aplicado facilmente.

Como exemplo, estude por 25 minutos e descanse 5, e repita o ciclo até alcançar o horário planejado. Assim, você terá intervalos de produtividade intensa intercalados com pequenos descansos. Caso o tempo seja muito curto (ou muito longo) para você, sinta-se livre para ajustá-lo conforme suas necessidades – mas não exagere no descanso.


Ficou alguma dúvida? Tem seu próprio método matador? Qual o seu segredo? Comente aqui embaixo ou fale conosco através das nossas redes sociais!

Para ler mais!

Como fazer um brainstorming

Como elaborar seus mapas mentais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.